Dica anti-estresse

Uma das coisas que eu e o Edu fizemos bem antes do programado foi vender o carro. Tínhamos pensado em vendê-lo só mais pra perto da  hora de partir em definitivo, mas alguns fatores nos forçaram a tomar essa decisão antecipada: 

 

  • Não usamos quase o carro durante a semana (eu vou pro trabalho a pé e o Edu, de metrô);
  • Não temos vaga na escritura do apartamento, então estávamos gastando uma grana para alugar uma vaga no prédio;
  • Os gastos mensais com o carro – seguro, gasolina, IPVA (mais o aluguel da garagem) poderiam ser transformados em ganhos, se colocássemos na poupança.

 

Assim, em julho decidimos vender o carro. Nem foi tão fácil como esperávamos, pois o mercado de carros usados está mais aquecido para carros pequenos, econômicos e mais baratos. Como tínhamos um Focus 2003, que valia mais de R$ 20 mil reais, foi mais demorado do que pensamos. Mas conseguimos vendê-lo e, além da grana que estamos conseguindo guardar, veio um item de bônus: não temos mais aquel estresse de dirigir nessa cidade enloquecida que é o Rio de Janeiro!!

Agora só andamos a pé ou de táxi nos finais de semana e, quando precisamos usar carro pra facilitar a vida (no caso das compras de supermercado), pegamos o carro dos pais do Edu emprestado! Melhor que isso, só se chegasse logo o pedido dos exames médicos!!! : )

Sei que nem todo mundo pode abrir mão de ter carro, pois dependem dele para ir trabalhar, ou têm filhos pequenos, mas pra quem puder, eu recomendo. Não temos mais o estresse de ficar de olho no trânsito, de procurar vaga, de ficar preocupado se vão roubar ou danificar o carro! Com certeza nossa qualidade de vida melhorou bastante nesses últimos dois meses, apesar de estarmos bastante ansiosos com o andamento (ou não…) do processo de imigração. Ô coisinha demorada!!

Desculpem a falta de posts no blog. Não é nem que falte assunto, mas falta motivação! Prometo que vou me esforçar…

Beijos,

Andréa

Publicado em Dicas. 6 Comments »

6 Respostas to “Dica anti-estresse”

  1. Sandro Says:

    Sei bem o que está sentindo minha amiga e fica difícil mesmo arrumar vontade de escrever no blog durante essa agoniante espera de notícias do consulado..

    Realmente o trânsito no Rio deixa qualquer um maluco, mas por causa das crianças ainda não vendemos o carro.

    Se tudo correr bem até o Natal o carro ficará apenas na lembrança junto com tudo o que ficará para trás antes do embarque.

    Abração

  2. Rossano Says:

    Olá Andréa,

    Nós também tomamos há algum tempo uma decisão parecida. So que em nosso caso tínhamos dois carros. Para o segundo carro tinhamos que alugar vaga de garagem no edifício, e quando nos mudamos para o apartamento atual, na garagem de uma casa em frente ao edifício, do outro lado da rua.
    Vendemos os dois populares e compramos um carro melhor. Como temos as crias o carro se torna necessário para levar e buscar na escola, isso para o Enzo que tem 5 anos. O Eric (14) já se vira.
    Curitiba ainda não é complicada como o Rio, mas o trânsito já aborrece um pouco. E foi muito bom livrar-se dos ônus (impostos, seguro e despesas de manutenção). Então alternamos o carro segundo nossas agendas. No mais utilizamos ônibus, táxi e boas caminhadas.

    Abraço,

    Rossano.

  3. Renata Says:

    Boa idéia! Aqui em casa já surgiu esse assunto e por um momento até pensamos que seria válido, mas com nossa pequena e nossas idas constantes para SP, fica inviável nesse momento.
    Logo iremos vener o nosso também. Quer comprar??? rsrsrs
    Beijos

  4. Mariana Says:

    Oi Andréa,

    É meu sonho não precisar mais dirigir!!! Até estou com uma invejinha de vcs… mas inveja saudável, tá?😉 No fim de semana, Daniel assume completamente o volante, pois não gosto nem de pensar em dirigir. Durante a semana, fazer o que? Paciência! ODEIO dirigir! Mas já andei pensando que isso pode até mudar lá no Canadá com segurança no trânsito (é o que mais me estressa), ruas devidamente asfaltadas e menos engarrafamentos. Será???

    Beijos,
    Mariana

  5. Pedro Says:

    Pretendo vender meu carro assim que o casamento passar.

    Moramos num bairro com facilidades de transporte público, mas no fundo, quero me livrar do stress diário no trânsito. Hoje, no caminho pro trabalho, me aborreci pelo menos umas 2 vezes com a falta de educação dos motoristas.

    Abs.

  6. Paulo Mello Says:

    Oi Andréa,

    Vou deixar aqui tb. a minha contribuição:

    Para quem como eu não PODE ficar sem carro, mas precisa fazer economia, existe uma solução: um carro VELHO.
    Você vai precisar de um bom mecânico, mas isso é uma conseqüencia.
    Hoje uso um carro de mais de 15 anos (apesar das linhas serem antigas tá bem cuidadinho), o mais importante é a economia:
    – Sem seguro (só uma trava de volante de R$ 15,00)
    – GNV +- R$ 100,00/mês eu gastava mais de R$ 400,00 com gasolina há 2 anos atrás
    – As peças são bem mais baratas.
    – São carros menos visados para roubo.
    – Posso estacionar em qualquer lugar sem estresse.

    Estou com o meu “velhinho” há pouco mais de um ano e posso dizer: é econômico e muito menos estressante.

    O mais difícil é tomar CORAGEM pra rodar com um carro velho, mas para quem não tem opção de ficar sem e quer economizar esta é a saída.

    Abraços a todos.
    Paulo Mello


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: