Encontro do Rio – abril

Pra quem não lê os e-mails do grupo, estamos querendo mudar a data do encontro: de 5 para 12 de abril. Gostaríamos que todos concordassem e pudessem participar na nova data. Essa mudança foi proposta pelas pessoas que fizeram o IELTS no sábado passado (eu, Diniz, Eduardo, João e Virgínia), pois no dia 11 teremos o resultado da prova e gostaríamos de compartilhá-lo com os amigos de jornada.

Se todos toparem, faltará só confirmar com a Valéria a disponibilidade do salão de festas do prédio dela. Estou tentando falar no celular dela, mas não consigo. Se alguém tiver o telefone da casa dela, por favor,  peça para ela me responder o e-mail ou ligar pra mim, OK?

Beijocas,

Andréa

IELTS feito…

Ufa! Fiz a prova do IELTS… Mais um item completado na nossa lista quase interminável de coisa a fazer nesse processo.

Vou contar como foi. A prova aqui no Rio foi realizada no sábado passado, dia 29, na PUC, na Gávea. Confesso que fiquei decepcionada com as instalações – esperava coisa melhor pelo preço que eles cobram de mensalidade, mas deixa isso pra lá… Bem, a primeira parte da prova foi o Oral Test – uma entrevista de cerca de 20 minutos com um entrevistador. Cheguei lá bem antes do meu horário, que era às 11h20. Encontrei com nossos amigos de processo, Eduardo, Diniz, João e Virgínia, e foi muito legal poder conversar e relaxar antes das provas. Isso fez uma diferença enorme no astral de todos nós.

A prova oral foi tranqüila, a entrevistadora tinha uma pronúncia impecável e o assunto selecionado por ela para fazer as perguntas foi bom também: música; locais onde se pode escutar música. Aí falei sobre o novo espaço que foi criado aqui no Rio para shows, o HSBC Arena, onde foram disputados os jogos de basquete do Pan-Americano. Falei do show do Seal, que seria naquel sábado mesmo e, no final, depois que ela desligou o gravador (sim, as provas são gravadas), falou pra mim que ela ia ao show e os tickets estavam na bolsa dela… ah que inveja!

Depois dessa prova tivemos que esperar até mais ou menos 12h30 para a segunda etapa: as provas de compreensão e escritas (Listening, Reading e Writing), que foram realizadas num auditório – éramos quase 60 pessoas!

Eu achei o teste de compreensão (Listening) mais fácil do que os testes que eu fiz em casa para treinar. Espero que a nota seja boa também!!! Mas tem que ficar suuuuuuuper ligado, concentrado, senão perde o ritmo e a coisa enrola. O Eduardo, por exemplo, disse que se desconcentrou um pouco e perdeu três questões.

Depois vem o teste de leitura (Reading), com textos que variam no tamanho: o primeiro é pequeno e o nível de dificuldade é menor. Depois vem um texto maior, com perguntas um pouco mais complexas, e o último tem duas páginas e achei bem chato… Esse é o que tem mais perguntas, mas no geral, não achei muito difícil.

O último é o teste de escrita (Writing), em que eles dão dois temas para o candidato escrever sobre eles. O primeiro é uma carta de 150 palavras e o segundo é uma redação com 250 palavras. Os temas foram meio chatinhos: a carta teria que ser feita para um gerente de um restaurante, elogiando o lugar, em que você teria ido com um grupo de amigos. O tema da redação era sobre telefone celular e as opiniões divergentes das pessoas: que seria mais útil para uso profissional ou para uso particular. Mas consegui escrever bem ambos os temas e espero ter obtido uma boa nota! Só sei que fiquei emocionalmente e fisicamente esgotada! Não achei as provas difíceis, mas essa história de ter tempo para fazser tudo é muito estressante. Ainda bem que terminou…

Detalhe: todas as provas escritas têm que ser feitas a lápis, inclusive as redações. E eles são muito rigorosos com relação aos horários. Quando eles falam que acabou o tempo, acabou mesmo.

Agora é aguardar até o décimo dia útil – sexta-feira da semana que vem – para ver o resultado no site do British Council. O resultado oficial, em papel, só no início da outra semana!

Ah, e agora uma notícia em primeiríssima mão: a Camila e o Julio acabaram de receber o pedido de exames médicos! Imagina se ela não me ligou imediatamente… hehehehe!!! Boa sorte pra eles!

Beijos e boa semana pra todos nós,

Andréa

Novidades sobre o processo de guarda

Como já mencionei aqui anteriormente, dei entrada em um processo de mudança da guarda da minha filha, a Beatriz, por conta da nossa ida para o Canadá. Eu e o pai dela temos guarda compartilhada e fiquei com medo de o Consulado não aceitar esse tipo de guarda, já que eles exigem que o requerente tenha a guarda/custódia do(s) filho(s) que o está(ão) no processo de imigração. E como no meu caso, eu não possuo a guarda total, eles poderiam exigir que eu apresentasse algum outro documento. Então decidi agir logo, e não esperar por um parecer do Consulado no final do processo.

Demos entrada nesse processo de mudança de guarda no início de março e confesso que pensei que iria demorar várias semanas até termos alguma notícia da advogada. Mas na semana passada ela ligou, dizendo que o Ministério Público (primeira etapa do processo) já tinha lido a petição e não se opôs! Primeira vitória! Depois disso, o processo seria encaminhado para o juiz da Vara de Família, que logo após o feriado da Páscoa deveria se pronunciar: ele vai decidir se vai chamar as partes para uma audiência ou se vai homologar direto, sem audiência.

Bom, agora é torcer para esse juiz ser rápido como foi o Ministério Público, para termos o acordo homologado antes de enviarmos os documentos para o Consulado. É claro que, se não der, vamos mandar uma carta, explicando que o acordo está em juízo, com a devida cópia desse acordo. Mas espero que isso não seja necessário e que a Justiça Brasileira me surpreenda positivamente mais uma vez.

Beijos e desejem-nos sorte!

Andréa

(P.S.: Escrevi todos esses posts do Login do Edu, pois no computador aqui de casa já entra o Login dele automaticamente… Aí achei melhor deixar como está… Sorry…)

IELTS

A comprovação da fluência no idioma inglês é uma das partes do processo de imigração para o Canadá – Processo Federal, diga-se. Para o processo via Québec, há uma entrevista em francês.

E como requerente principal do nosso processo, terei que fazer a prova, para a qual já me inscrevi e será no próximo sábado, dia 29 de março (por coincidência, aniversário do Edu… espero que esse dia me traga muita sorte!). O local da prova me surpreendeu um pouco, já que o British Council havia informado que seria no curso Britannia de Ipanema e, num dos últimos e-mails de confirmação informaram que seria na PUC. Acho que o número de participantes foi decisivo para a escolha do local: eu mesma me surpreendi quando vi a tabela dos horários para o teste do Speaking: cerca de 9 pessoas para cada um dos 7 entrevistadores! Umas 60 pessoas no total! Uau!

Até a semana passada eu não estava me preparando muito, mas nesse feriadão de Páscoa resolvi que ia fazer alguns exemplos de testes – principalmente os de Reading e Listening, pois são os que me preocupavam mais. Depois de alguns testes, vi que o de Reading é grande, mas tranqüilo. Exige muita atenção, mas como consegui fazer os três testes a que me propus em cerca de 30 minutos – temos uma hora para terminá-lo no dia da prova – acho que vou conseguir um bom resultado. Pelo menos vou poder ler e reler minhas respostas com calma.

O Listening me preocupa mais porque eles só nos deixam ouvir os diálogos uma única vez. Ou seja, se não entendeu daquela vez, tem que “chutar” alguma resposta, pra não deixar em branco. No geral, consegui entender bem, mas no dia da prova, com todo o nervosismo que é normal, vou ter que me concentrar muito.

As outras etapas do teste não me preocupam: uma entrevista de 20 minutos (Speaking) e um teste de escrita (Writing) com uma hora para escrevermos uma carta de 150 palavras e uma redação de 250 palavras sobre temas que eles definem. Mesmo assim, andei dando uma olhada nos temas abordados em ambas as provas, bem como na mecânica delas, para não ser pega de surpresa.

Enfim, agora é ficar calma, concentrada, levar lápis (sim, a prova é toda feita a lápis), borracha e apontador e aguardar o resultado, 13 dias após a prova. Serão 13 dias tensos…

Torçam por mim!!!

Andréa

Anotem na agenda… novo encontro em 5/4/08

Pessoal, nosso grupo do Rio do Processo Federal – o Rio-Canada – vai se encontrar novamente no próximo dia 5 de abril, sábado. No último encontro na casa da família Galluggo ficou combinado que faríamos o próximo no salão de festas do prédio da Valéria, em Ipanema. Então, para quem quiser ir se preparando, marquem nas suas agendas, caderninhos, palms etc – 5 de abril em Ipanema!

Esse encontro pode ser a festa de despedida da Valéria, pois ela recebeu o pedido dos exames no mês passado e eles já devem ter chegado em Trinidad & Tobago!!

Um beijo e espero que todos tenham tido uma ótima Páscoa – para os que não comemoram a data, que tenham aproveitado o feriadão!

Andréa

Mudando radicalmente de assunto…

Nas incessantes pesquisas sobre o Canadá acabei encontrando diversos sites e blogs sobre os assuntos mais variados. Um desses assuntos – culinária – é o tema do blog “Chucrute com salsicha“, da Fernanda Guimarães Rosa, que mora em Davis, na Califórnia. O blog é muito interessante e ela fala basicamente sobre culinária, receitas, mas também sobre a indústria alimentícia.

Esse foi o assunto de um post publicado hoje, onde ela comenta sobre uma palestra do jornalista Michael Pollan.  Ele é autor do recém-publicado In Defense of Food: An Eater’s Manifesto, e também de outros livros, tais como: The Omnivore’s Dilemma: A Natural History of Four Meals, um dos dez melhores livros de 2006 segundo o New York Times e o Washington Post;  The Botany of Desire; Second Nature; e A Place of My Own. Pollan é colaborador da New York Times Magazine e Professor de Jornalismo na UC Berkeley.

Vale a pena ler esse blog e principalmente o post sobre a palestra do Michael Pollan. Seguem abaixo alguns dos mandamentos dele:

. Não coma nada que a sua avó não consiga reconhecer como comida.
. Evite comidas que contenham ingredientes que você não consiga pronunciar.
. Evite comer qualquer coisa que não apodreça.*
. Evite produtos que prometem benefícios para a sua saúde.
. Compre produtos nas áreas periféricas do supermercado—os perecíveis.
. Melhor ainda, não compre em supermercados, mas sim nos Farmers Markets, ou assine uma CSA.

*Pollan carrega pra cima e pra baixo há anos, um pacotinho com dois bolinhos industrializados, para provar que os trequinhos continuam perfeitos, fofinhos e sem nenhum bolor ou descoloração, mesmo com o passar dos anos——e-ca!

Espero que gostem da dica do blog e preparem-se… as fotos são de dar água na boca!

Bjs e bom apetite!

Andréa

Publicado em Geral. 2 Comments »

Dicas para procurar (e encontrar) trabalho no Canadá

Segue artigo que saiu hoje no jornal The Star, de Toronto, com dicas para procurar e encontrar trabalho no Canadá. São dicas compiladas em entrevistas com especialistas das agências que prestam vários serviços ao imigrante em Toronto – principalmente a encontrar o precioso “primeiro emprego”.

http://www.thestar.com/specialsections/top50/article/305001

Enjoy!

Andréa